Salve, Eli!

Foto: Reprodução
Sambista de Campos, Eli Miranda faria 60 anos esta semana se vivo estivesse. Duas homenagens acontecem, hoje e amanhã, para lembrar a data. Logo mais, às 22 horas, na Arpex (rua Gilberto Cardoso, em frente ao Bar do Louro), tem samba com Lene Moraes e bando.

E nesta sexta-feira, no Trianon, o produtor cultural e fotógrafo Wellington Cordeiro apresenta o "Tributo a Eli Miranda". Eli morreu em 1998, aos 47 anos. Pouca gente sabe, mas ele é considerado "padrinho artístico" de Alexandre Pires, a quem deu oportunidades durante shows em Minas Gerais, na década de 90.

3 comentários:

Gustavo Rangel disse...

kkkkkkkkkkkkkk
e sei não, aquela toalhinha sua lá do Mercearia aparenta ser meio fru fru...hummmmmm...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
É cada uma
Abração!!!

Cassio Peixoto disse...

Seria bom se todo mundo fosse neste evento. Pouca gente sabe a importância que ElimMiranda tem para a música de Campos. O Samba, MPB e até o bom e velho rock and roll de Campos deveriam agradecer ao desbravador Eli Miranda.
Sou fã do cara!

Jackeline Rangel disse...

Qualquer semelhança com Tim Maia é mera coincidência...