Para o Goyta, com carinho

Dia desses tive uma espécie de "revival" anos 80. Lembrei das Diretas Já, do Rock Nacional, da Escola Técnica Federal de Campos, do All Star e de como era bom ir ao Aryzão com meu pai ver o Goytacaz jogar. Depois de algumas Bohemias, "brotou" esse texto aí abaixo. É um pequeno resgate ao passado em forma de palavras, com viés futurista. Pra ilustrar, recorri a uma foto minha, de arquivo.

Sangue azul

No dia que o Goytacaz voltar
Bandeiras vão tremular,
A torcida vai desabafar
E o peito vai uivar.

No dia que o Goytacaz voltar
Olhos vão marejar.
Vai ser data para registrar,
Vai faltar palavra pra gritar.

No dia que o Goytacaz voltar
Vai ser dia de cantar.
Vai ser bom comemorar,
Ver o sofrimento estancar.

No dia que o Goytacaz voltar
Vai ter riso de criança pra fotografar,
Choro de adulto pra emocionar
E alguém do lado pra abraçar.

No dia que o Goytacaz voltar,
Ah, no dia que o Goyta voltar,
O relógio vai parar
E o mundo vai se renovar.

2 comentários:

Vindo dos Pampas disse...

Com o devido crédito, transcrevi esta poesia para o meu blog http://vindodospampas.blogspot.com/ no dia 17 próximo passado.

Álvaro Marcos disse...

Obrigadíssimo, "Vindo dos Pampas".