Cuca começa a inventar no Flamengo

Aírton, Toró, Williams, Ibson, Kléberson, Jônatas, Éverton, Fierro, Marcelinho Paraíba e Zé Roberto são os 10 jogadores à disposição para o meio-de-campo do Flamengo. Alguns com maior qualidade; outros com menos futebol e mais disposição. De qualquer modo, há inúmeras opções. Então, por que o técnico Cuca começa a testar Léo Moura, o lateral direito mais ofensivo do Brasil, no setor? Estaria o treinador iniciando seu período de invenções na Gávea? Acho que os dias de Cuca no rubro-negro estão contados.

4 comentários:

Mário Teresa, disse...

Eu gostaria de tê-lo criticado antes. Não o fiz.
Também não o farei agora, é fácil bater em cachorro morto.
O momento no Flamengo é delicado, e a coisa que a imprenssa mais gosta é de momentos de crise na gávea, para cair com o pau em cima.
Prefiro aguardar e dar um pouco de crédito ao Cuca. Quem sabe esse revés não tenha vindo em boa hora?!

Álvaro Marcos Teles disse...

Talvez o maior problema do Cuca, Mário, seja a tentativa insistente em descobrir "fórmulas mágicas". Lembra da final do Carioca de 2008, quando ele escalou um tal Eduardo na lateral esquerda do Botafogo? No Santos a reclamação geral dos jogadores foi a mesma: a busca por táticas mirabolantes. Se essa do Léo Moura se consolidar, não vou duvidar se Bruno jogar de centroavante e Josiel for para o gol.

Mário Teresa, disse...

Concordo contigo Álvaro, só acho que o Cuca não seja o principal responsável dessa vez, pois como se sabe, o "vampetinismo" se instalou na gávea.
Mas eu também não sou fã dessa coisa do Léo no meio-campo, prefiro laterais que sejam laterais.

Álvaro Marcos Teles disse...

Gostei do "Vampetinismo". Atingiu também o Botafogo, em pleno Brasileirão do ano passado. A diretoria começou a fingir que pagava, o time começou a fingir que jogava. É duro para os torcedores, mas que acontece, acontece.