Voltei a me arriscar

E nessa de ler poesia, o pulso treme. Da pena quase extinta, há tempos ressecada, saiu isso aí:

Ligação

Teu beijo, marginal
Tua boca, imortal
Saliva doce, canibal.
Instinto seco, imoral.

Indecente, sensacional.
Ardente, animal.
Pedaços de nós no varal.
Só desejo, atemporal.

Sinal da cruz, espiritual.
Sinal de vida, lamaçal.
Olhar vermelho, castiçal.
Despojado, ritual.


Álvaro Marcos


2 comentários:

Anônimo disse...

Gostei muito do seu blog.Abs.
Elza Cruz.

Álvaro Marcos disse...

Muito obrigado, Elza. Volte sempre.